30 de janeiro de 2009

A vila da Barra

A vila da Barra – um conjunto de 30 casas para operários construídas pela antecessora da indústria têxtil Brasital S/A, a Società per l'Esportazione e per l'Industria Italo-Americana, entre os anos de 1911 e 1912, é o mais antigo dos conjuntos de casas para operários construídos em Salto ao longo da primeira metade do século XX. Outros conjuntos foram a vila operária Brasital (situada no quadrilátero formado pelas ruas Rio Branco, Itapiru, 9 de Julho e Avenida D. Pedro II) e as casas de Porto Góes, situada nas proximidades da fábrica de Papel, para atender aos funcionários desta.

A Barra constitui um dos primeiros núcleos do gênero no Estado de São Paulo. As casas estão localizadas às margens dos rios Jundiaí e Tietê, mais especificamente no cotovelo formado pela confluência das águas. O nome barra é sinonímia de margem (do rio). Costuma-se dizer que há duas barras: a do Jundiaí e do Tietê. O conjunto mais antigo e significativo foi construído com as fachadas voltadas, em sua maior parte, para a barra do rio Jundiaí. As casas da barra do Tietê, num total de oito, mas em outro padrão, são posteriores (1945-1946). Diz a memória popular saltense que a relação com a fábrica era muito estreita, já que das casas era possível ouvir o apito da fábrica, distante apenas alguns quarteirões, que era tocado minutos antes do horário de entrada – tempo suficiente para que os operários saíssem das referidas casas e caminhassem rumo a tecelagem.


Casas da Barra do rio Jundiaí, 1912.


Casas da Barra do rio Tietê, construídas na década de 1940. Foto de 1983.


Barra do rio Jundiaí em 1940, já com o escorregador do Clube de Regatas Saltense, fundado em 1936.

Nenhum comentário:

Ouça o hino da cidade, "Salto Canção", na gravação de 1966